Arrepende-te Brasil

"O meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra." Salmos 121:2

Arrepende-te Brasil

Contra os falsos mestres

sexta-feira, 30 de junho de 2017

O proveito da palavra - Esqueça a opinião pública


"Toda a Escritura {que} é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra." 2 Timóteo 3:16,17

Paulo escreveu a Timóteo a respeito do quão proveitosas são as palavras das Escrituras. A vontade de Paulo era que Timóteo não desprezasse o poder que há nas palavras escritas naquilo que hoje chamamos de bíblia. Eu creio no que está escrito na bíblia, desde que interpretado pelo Espírito Santo. Homens podem usar a bíblia de modo ilegítimo e para isso a única arma que nós temos é a correta interpretação do que realmente está escrito, por isso é tão importante meditar na palavra de Deus. Se perdermos a palavra de vista iremos sempre nos deixar ser levados apenas pelo nosso coração e sentimentos. É por isso que eu disse que creio na escritura, mas desde que a interpretação seja dada pelo Espírito Santo.

Nos dias em que nós vivemos cada vez mais se tornam complicadas as coisas. Como diria um pregador com quem aprendi muito da palavra, hoje se você prega uma coisa você irá ofender a um grupo, e se pregar outra, vai ofender a outro grupo. Então ele disse "esqueça a opinião das pessoas, apenas pregue a Palavra de Deus". Nenhum cristão deveria permitir que opinião pública dirigisse o seu caminhar com Deus ou ministério mais do que a própria palavra. A palavra deve dirigir nossa vida e nossos passos, mas se usarmos ela ilegítimamente, ai! Que estrago que faremos! Por isso é preciso ajuda de Deus para usar esta espada mais afiada que qualquer outra espada!

A palavra de Deus é exatamente deste modo, uma espada mais afiada que qualquer espada de dois gumes (que são das mais cortantes) que nós temos! A palavra de Deus pode cortar não só o corpo mas tambem a alma! Certamente as palavras de Deus, palavras de vida eterna, são um bisturi com o qual se pode operar o coração do homem! Elas podem cortar o nosso coração, e devemos ter cuidado extremo ao manejá-la pois pode cortar para o bem ou para o mal se usarmos ela de modo indevido! Você sabe muito bem disso, há pessoas que nunca estarão contentes com nada. Se você pregar uma mensagem de consolação elas dirão "olha lá, ele está aliviando o Evangelho, agora só quer falar de amor""ih, lá vem ele de novo com estas mensagens açucaradas, não repreende mais pecado, Deus é amor mas também é justiça". Se porém você pregar uma mensagem de repreensão, então virão outros dizendo "olha lá, como é grosso e sem paciência, precisava falar deste jeito""ih, este dai só sabe descer o cajado em todo mundo, está se achando o dono da verdade", "que religioso, olha como é fariseu, legalista...".

Você nunca vai agradar todo mundo, então agrade a Deus, esqueça o que as pessoas vão pensar, pregue apenas aquilo que Deus quer que você pregue, não se importe com a opinião pública, não se junte ao grupo dos caçadores de likes no facebook, e de inscritos no youtube. Não, não caia nesta armadilha, de produzir conteúdo de olho na audiência, quem faz isso são os marqueteiros dos programas de tv. Você, seja apenas um ministrador das boas novas de Jesus Cristo, não busque muitos inscritos, nem visualizações, pois quantidade não quer dizer qualidade. É melhor você ter um canal com 200 inscritos que vão para o céu, do que um canal com 90 mil que vão para o inferno. A palavra de Deus portanto é poderosa para corrigir, repreender, consolar, sustentar, ensinar, responder, há vários aspectos que ela trata. A palavra repreende, e também consola, ela responde e também ensina, ela ânima e também fortalece, ela pode matar mas também dar a vida, e para isso, é preciso auxílio do Espírito Santo e permissão do Pai para usá-la!

Senhor, dá-nos a Sua Palavra cada dia, amém!

Arrepende-te Brasil

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Parem de convidar os que cobram para pregar - Estrelismo gospel


Temos na igreja hoje em dia famosos e aspirantes a fama, comediantes, artistas, cantores, animadores de auditório, excelentes oradores, discursam muito bem, e é claro, tudo isso a preço de ocasião. Estamos vendendo o sangue de Jesus a preço de mercado na igreja hoje em dia. Ninguém se envergonha mais,  o comércio da fé, a mercantilização e a profissionalização do ministério já não escandalizam mais ninguém, pelo contrário, hoje já encontraram um modo de distorcer a bíblia para justificar o seu comércio e a sua riqueza acumulada de modo injusto. Mas como sempre é bom dizer dizer, a verdade é que só tem gente vendendo peixe porque obviamente há quem compra peixe. O dia que não houver mais compradores também não haverá mais vendedores. Eles serão forçados a parar de vender, e eles vendem a um alto preço os seus peixes, os cachês atuais são caros e as exigências são altas (altíssimas em alguns casos!). Cobrar um centavo já seria erro, mas alguns exigem os melhores carros para si, casas, hotéis, relógios, roupas, luxo desmedido, sem pudor, dinheiro conseguido através da mercantilização do ministério, transformando o ministério do Senhor em um negócio altamente rentável, altamente lucrativo. 

Para este comércio todo ganhar todo o espaço que tem hoje é claro que tivemos que fechar os olhos para um monte de escrituras na bíblia e então alimentar o estrelismo idólatra e cego que domina boa parte dos nossos púlpitos atualmente. Se engana muito quem pensa em estrelismo apenas no meio dos grandes pregadores, famosíssimos, riquíssimos e tudo mais. Não, é muito fácil qualquer um de nós querer e se permitir virar uma estrela. Você pode querer ser, ou se permitir ser transformado numa estrela, as vezes não a nível Brasil, mas as vezes na sua própria igreja, ou mediante um grupo de irmãos. Temos na bíblia exemplos disso, em uma de suas cartas João escreve a igreja a respeito de Diótrefes, que não recebia aos apóstolos, e expulsava os irmãos da igreja, e que procurava exercer a primazia entre os irmãos. Ele queria ser o primaz entre todos, isso é chamado de síndrome de Lucífer por alguns, ou simplesmente poderíamos dizer que Diótrefes queria estrelismo pessoal naquela congregação. Pode ser em um pequeno grupo num lar, estrelismo sempre será estrelismo.

Agora pense comigo apenas um segundo, vamos voltar a ler nossas bíblias, onde foi que o Senhor permitiu ou recomendou transformar o ministério num comércio altamente rentável? Será que foi quando disse "de graça recebestes e de graça dareis"? Falando isso ele estava aprovando a cobrança de cachês em troca de algumas horas de pregação? Por certo estão andando na contramão da palavra de Deus estes que cobram para pregar, e estes que pagam para escutar. Isso é uma relação promíscua com um falso deus chamado Mamom, é uma prostituição espiritual , um comércio em troca de favores, um toma lá da cá desmedido, barganhas e mais barganhas sendo feitas com um Deus que não aceita barganhas pois é o dono de todas as coisas e só quer a nossa vida. Não, ele não quer a nossa vida porque precisa dela, ele a quer porque nos ama, e quando o Seu Filho Jesus morreu na cruz para nos salvar, não era porque ele precisava de nós, ou porque não saberia ser Deus sem nós, mas foi somente porque ele nos amou e se doou completamente por sua livre escolha! Deus não precisa de nada que nós temos para continuar eternamente a ser Deus, Perfeito, Pleno, Completo, Sublime, Santo! Não, realmente Deus não precisa de nós, realmente nada temos a oferecer a ele, mas ele mesmo assim nos quer e declarou o seu amor nos concendendo seu perdão lá no Calvário, quando Cristo orou pedindo ao Pai que nos perdoasse! Será que Jesus morreu na cruz para transformarmos a igreja num circo, cobrando ingressos das pessoas para elas entrarem e assistirem comédia? Será que o evangelho na visão modernizada das coisas se tornou uma piada até dentro da própria igreja? Há motivos para rirmos, realmente?

Não, mil vezes não, a verdade é que vivemos nos dias que Jesus profetizou, e os apóstolos também, os dias em que a igreja caiu na mais massiva e horrível apostasia jamais vista na face da terra! Esta igreja se gloria de viver em avivamento, e estar sendo visitada por Deus, mas a maioria dos irmãos, a água ainda não lhes passou nem dos tornozelos! A maioria não continuou buscando realmente a Deus após a sua conversão, apenas enveredou por um caminho de mensagens de psicologia e auto-ajuda que te fazem apenas querer buscar em Deus o teu conforto terreno e bem-estar pessoal! Mas Jesus se sentia muito mal quando carregava aquela cruz, e mesmo assim ele teve de ir até o fim! Hoje nós apenas queremos nos sentir bem, confortáveis, nada que nos incomode na caminhada! Paulo continuou andando mesmo com o espinho na carne, Estevão continuou orando mesmo debaixo duma chuva de pedras, Silas cantava ainda na prisão e todo machucado! Jó se prostrou e adorou a Deus quando perdeu tudo! Eles não pararam por causa das perdas, dores, adversidades! Eles não louvaram somente pelo livramento recebido, mas independente de serem livrados ou não da fornalha de fogo, ou da cova dos leões, tais homens chegaram a Essência da Adoração, eles tiraram forças da fraqueza e aprenderam a louvar a Deus não apenas por bençãos ou graças passageiras, eles louvaram a Deus por QUEM ELE É! Mas a nossa geração ora sempre carnalmente, quer sempre o mais rápido, o mais fácil, o mais indolor "ah Deus, me faça confortável e próspero, eu quero me sentir bem, para eu te louvar e continuar andando com o Senhor!" 

Somos uma geração mimada e subnutrida espiritualmente!

Pense bem no que vou dizer, para vergonha nossa, mas se hoje os todos os pastores do Brasil fechassem as portas das suas igrejas e não chamassem mais para pregar nenhum pregador que mercantiliza a palavra, nenhum pregador que cobra cachê, nenhum cantor que cobra para pregar e cantar, nenhum mercenário que exige hotel 5 estrelas e delícias terrenas, se todos os grupos cristãos, igrejas do Brasil hoje, fechassem as portas também para os comediantes, para os animadores de auditório, para os promotores de entretenimento e show gospel, e nós apenas retornássemos ao Evangelho, voltássemos a Jesus Cristo em arrependimento, sabe o que iria acontecer então? Eu digo para vocês o que iria acontecer: Uma nova geração de pregadores, cheia do Espírito Santo, não compromissada com o mundo e dinheiro, iria se tornar conhecida da igreja! Os rostos todos que você conhece hoje em dia por ai, a maioria deles, quase todos, não sobreviveriam a um pente fino do Espírito Santo na igreja! Se você tirasse hoje todos os pregadores incluídos neste comércio, comédia e entretenimento, na igreja atual iria tirar quase todos os mais ilustres entre nós e você iria começar a ver uns rostos bem estranhos pregando a Palavra nas igrejas por ai! Uns rostos bastante desconhecidos! O espaço para falar na congregação deve ser dado a quem de fato tem o que comunicar a igreja! Se alguém não tem a Palavra se cale, e fale a sós com Deus, mas se tem a Palavra, fale com fidelidade!

Pastores, prestem bem atenção nisso, o diabo quer uma oportunidade no púlpito da sua igreja!

Se cuidem irmãos, a eternidade está diante de nós, e Jesus o qual nos foi representado crucificado, o que escolheremos?

O tempo para o ministério profissional e comercial, que tem apelo comercial, é apenas um produto na prateleira do mercado da fé, este tempo acabou, é hora do ministério cheio do Espírito!

Pastores, vamos convidar o Espírito Santo para pregar em nossas igrejas! Irmãos, vamos convidar o Espírito Santo para ministrar em nossos corações! Não percam a eternidade de vista!

Shalom!

Arrepende-te Brasil.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Uma das maiores mentiras de nossos dias, que só vai para o céu quem pagar o dízimo


Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia. João 6:44

A frase que o Senhor Jesus disse acima me consola bastante em dias como os que nós vivemos. Talvez se ela não fizesse sentido em meu coração eu quase poderia ficar desesperado e tentado a fazer algo de mim mesmo, de minhas próprias forças para parar o gigante engano que há em nossos dias. Eu estava vendo um homem estes dias falando que "é impossível você ser batizado com o Espírito Santo se você não for um dizimista fiel". Ele estava falando isso na televisão aberta, de que o Espírito Santo só virá (é basicamente comprado!) através dos dízimos e ofertas a Deus.

Na ótica dele ninguém pode ter o Espírito Santo se não pagar dízimos, o que significa que não dizimistas vão para o inferno segundo tal doutrina caída. Quando eu ouço este tipo de coisa eu quase que "compreendo" o porque das pessoas não quererem Jesus hoje em dia. Elas ouvem este tipo de coisa e elas não são capazes de separar Jesus Cristo de toda esta verdadeira Babilônia religiosa. A imagem portanto que elas tem do evangelho e de Jesus é apenas esta imagem distorcida que tal tipo de pregação traz. Elas estão rejeitando um Jesus que não é Jesus, é Je$u$. E eu não sei se estas mesmas pessoas aceitariam o verdadeiro se o conhecessem, mas uma coisa é fato em nossos dias, se alguém quer ver Jesus, deve ir até Ele e não até estes supostos mediadores, pregadores.

Este tipo de igreja não representa Jesus na terra! Aliás, quem será que o representa hein? Deve-se pois separar Jesus de todos os outros nomes de religiões, igrejas, pregadores, etc. Quando escuto um homem como este falando estas coisas na televisão aberta então eu só encontro consolo em Deus, e que Jesus disse "nenhum dos que o Pai me deu se perderam", e também que "ninguém pode vir a mim se o Pai que me enviou não o trouxer". Eles ameaçam com o inferno e preparam a maior guerra contra quem não traz dízimos e ofertas para a igreja deles, mas se alguém dá um ossinho bom para roerem, a este eles clamam paz e paz mesmo não havendo paz. Aqui nós estamos contra a avareza e a imposição do medo para arrancar dinheiro das pessoas. Aqui apenas pregamos Jesus, não nos preocupamos com dinheiro, não pregamos dinheiro, não ameaçamos as pessoas do inferno por causa de dinheiro!

Deus trouxe o povo de Israel para fora do Egito, e também pode fazer com que as almas que perecem e precisam do amor de Deus vençam esta muralha de enganações destas falsas mensagens distorcidas e consigam se chegar até Jesus. O Pai mesmo trará estas almas e as fará vencer o engano da religião que usa em vão o nome de Deus para comércio e trará as pobres ovelhas do rebanho ao Fiel e Bom Pastor, Jesus que deu a sua vida por nós! Salvação não foi comprada com dinheiro, nem com dízimo, nem com oferta, mas com o Sangue Precioso de Jesus Cristo! Aprendendo isso não blasfemaremos mais do Sangue de Jesus, e não nos intimidaremos mais pelas ameaças do inferno!

Não importa quão grande a maldade seja, Deus é maior, mas, vigiemos em oração, e que o Senhor nos ampare!

Fujam dos falsos mestres!

Arrepende-te Brasil.

domingo, 11 de junho de 2017

Culto a anjos - A adoração de ídolos vivos


A adoração de ídolos "vivos" na igreja evangélica é gritante nos dias atuais, e isso eu classifico como culto a anjos. Nenhum anjo aceita ser cultuado ou adorado, pelo menos os anjos de Deus não fazem isso, pois sabem muito bem que o anjo (e os anjos) que desejaram ser cultuados e adorados foram expulsos do céu. Os únicos anjos de que aceitam culto de adoração são os anjos demoniacos.

Mas na igreja hoje nós vemos um grande mal acontecendo bem debaixo dos nossos olhos, e algumas vezes ao invés de ser combatido tem sido estimulado, eu digo a respeito da idolatria a pastores, profetas, cantores, líderes de um modo geral. Em Apocalipse os pastores das igrejas são chamados de anjos pelo próprio Senhor, e o significado da palavra anjo é mensageiro. Os pregadores são mensageiros.

Qualquer líder que exija obediência cega a si mesmo, estará se colocando acima da Palavra, acima de Jesus Cristo, e isso é idolatria. Se aceitarmos iremos sofrer. O anjo de apocalipse rejeitou ser adorado por João, e aquele era um anjo espiritual, que segundo a palavra é muito maior do que qualquer ser humano em força e em poder.

Mas os pregadores, também levam menção de anjos (mensageiros) na bíblia, mas não podem e não devem ser adorados.

É um erro e um pecado obedecer e acatar cegamente as ordens de um homem, colocando ele acima da verdade e da palavra de Deus.

Infelizmente, a forma como alguns anjos conseguem ser adorados hoje em dia, é colocando o medo do inferno nas pessoas, ou através de promessas de bênçãos e prosperidade.

É sempre através da mentira que nasce toda falsa forma de culto e adoração.

Arrepende-te Brasil.

sábado, 10 de junho de 2017

Ímpios se acham entre o meu povo


"Porque ímpios se acham entre o meu povo; andam espiando, como quem arma laços; põem armadilhas, com que prendem os homens." Jeremias 5:26

Nem todo que nasce em Israel é israelita, mas sim, o que é no coração. Nem todo que está na igreja é cristão de verdade. Nem todo que se diz pastor, é pastor de verdade. Pode ter cara e bíblia de pastor, mas não ser pastor. Pode ter cara de crente, mas não ser. Nós deveríamos aprender com a lição do antigo testamento, já os profetas denunciavam "ímpios se encontram entre o meu povo". O inimigo estava infiltrado dentro do povo de Deus. É como se alguns bandidos vestissem farda policial e se infiltrassem na corporação. Como se Brasil fosse guerrear com os Ingleses, e então soldados do exército inglês vestissem uniforme do exército do Brasil. Muitos não conseguem entender que ainda que seja verdade, muitas vezes cristãos estão brigando contra cristãos a toa hoje em dia, também é verdade que muitas vezes, são apenas ímpios infiltrados entre o povo de Deus, quando os combatemos, parece que estamos causando divisão. O povo de Deus tem protegido os lobos que os tem devorado e sacrificado os profetas que tem lutado por eles. Não se pode tocar nos lobos, mas eles estão livres para matar as ovelhas, prendamos os pastores para que não machuquem os lobos, deixemos a porta do galinheiro aberta, para que a raposa entre a hora que quiser. Há raposas no galinheiro atualmente e elas não podem ser combatidas para mantermos a "unidade", quem não percebe isso?

Na verdade o diabo lança sempre uma forte acusação contra quem fala a verdade tendo sido levantado por Deus. Ele os acusa e chama os tais de perturbadores da paz e segurança do povo de Deus. Pior de tudo, acaba conseguindo fazer a cabeça de muitos, que passam agora a abraçar os lobos e combater os profetas. O povo de Deus tem feito isso, o próprio povo de Deus tem feito isso. O que muitos não entendem, não percebem, não veem, é que "ímpios se encontram entre o meu povo". E hoje eles realmente não podem mais ser combatidos em nossas reuniões e congregações em nome da "unidade" do corpo de Cristo. Poupa-se os lobos, sacrifica-se as ovelhas. Mesmo o diabo pode reconhecer as pessoas que foram levantadas por Deus. Ele conhecia Paulo, mas não os sete filhos de Ceva em Atos. Os demônios obedeciam o comando de Paulo, mas não se sujeitaram ao comando dos filhos de Ceva. Eles apanharam dos demônios e ficaram nus e cheios de vergonhas. Mas povo de Deus, será que vocês são capazes de reconhecer as pessoas que verdadeiramente foram levantadas por Deus? Ou repetiremos os erros do antigo testamento, matando os profetas e apedrejando os que nos são enviados? O diabo sabe reconhecer e mirar muito bem os verdadeiros líderes de Deus, mas a igreja do Senhor, tem mandado eles calarem a boca para manter a "unidade". Esta não é a paz que Jesus pregou. Sacrifica-se as ovelhas para manter a paz com os lobos. Impios estão infiltrados entre o povo de Deus. É como se uma lei fosse promulgada na igreja proibindo que a verdade seja dita para não ofender os lobos. Os lobos ganharam salas vip nas congregações, e os profetas foram colocados para fora.

Alguns pensam num falso tratado de paz que virá ao mundo, mas o pior e mais mortal de todos os falsos tratados de paz está acontecendo bem debaixo do nosso nariz, dentro da igreja, e nós apenas olhando para Israel e o cenário político de nossos dias. Já há muito que uma abominação desoladora está no lugar santo, o engano na casa de Deus, o engano entre o povo de Deus, o povo de Deus selando a paz com o espírito o anticristo e expulsando o Espírito Santo, vivendo o evangelho do diabo, o evangelho das coisas deste mundo, que não tem poder de mudar nenhum coração, só dinheiro, e bênçãos e vitória terrena. Chutaram a cruz para fora, as vezes tem até alguma forma de aparente piedade e moralidade, mas é somente uma religião de obras mortas, sem poder, sem o sangue de Cristo a fluir. A prova disso é que a maioria das pessoas que hoje diz crer em Jesus continuam intactas, não há quebrantamento, não há transformação, elas continuam exatamente no mesmo rumo que antes da sua "conversão", só que agora vão para a igreja. Só isso mudou em muitos casos. Vão para igreja buscar não a Cristo, mas sim o melhor para a sua vida aqui e agora. Nós temos pastores do anticristo apascentando igrejas. Igrejas que mal dá para chamar igreja. Há impios entre o povo de Deus, e os líderes que o Senhor mesmo levantou viraram bandidos aos olhos do povo, cumprindo assim a escritura a respeito do cenário dos últimos dias. A bíblia diz que isso iria acontecer e nos manda se arrepender e voltar ao primeiro evangelho, o evangelho original, o evangelho que fala das coisas celestiais, que fala das coisas eternas, o evangelho que veio do céu, o qual Jesus trouxe e entregou aos seus verdadeiros apóstolos.

"Agora vá, escreva isso numa tabuinha para eles, registre-o num livro, para que nos dias vindouros seja um testemunho eterno. Esse povo é rebelde; são filhos mentirosos, filhos que não querem saber da instrução do Senhor. Eles dizem aos videntes: "Não tenham mais visões! " e aos profetas: "Não nos revelem o que é certo! Falem-nos coisas agradáveis, profetizem ilusões. Deixem esse caminho, abandonem essa vereda, e parem de confrontar-nos com o Santo de Israel!" Isaías 30:8-11

Tem raposa no galinheiro!

Arrepende-te Brasil

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Conhecido no inferno - Leonard Ravenhill

Conhecido No Inferno

Alguns pregadores dominam bem o assunto de que tratam; outros
são dominados por ele. De vez em quando encontramos um que
além de dominá-lo bem, também é dominado por ele. Tenho certeza
de que o apóstolo Paulo pode ser incluído entre estes.
Vejamos um episódio ocorrido em Éfeso (At 19). Sete homens
estavam tentando libertar um endemoninhado, utilizando determinada
fórmula religiosa. Mas dirigir termos teológicos e até mesmo
versículos bíblicos a um endemoninhado é um método ineficaz de
libertação. Seria o mesmo que tentar deslocar a rocha de Gibraltar
atirando-lhe bolas de neve. E o homem dominado pelo demônio,
apesar de ser um só, subjugou facilmente aqueles tolos. E enquanto
os filhos de Ceva saíam correndo para a rua, nus e derrotados, o que
estava possesso de um espírito imundo acrescentava ao seu guardaroupa
mais sete vestes. E a imagem dos sete, feridos e
amedrontados, já dizia tudo. Mas Deus usou a insensatez deles para
glorificar o nome de Cristo, pois por causa desse episódio o nome
dele foi engrandecido. Adeptos do espiritismo foram salvos; judeus e
gregos se converteram; queimaram-se, em enorme fogueira, livros de
artes mágicas, cujo valor chegava a cinqüenta mil moedas de prata.
Certamente esse acontecimento fez com que até a ira humana o louvasse
(Sl 76.10). E observemos ainda o testemunho do demônio: “Conheço a
Jesus, e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois?” (At 19.15). Esse é o maior
elogio que o inferno pode fazer a alguém: associar seu nome ao de Jesus.
Mas como foi que Paulo se tornou este tipo de cristão? Por que os
demônios o conheciam? Já o haviam derrotado também, ou fora ele quem
os derrotara? Pensemos um pouco nesse apóstolo. Ele conhecia a Deus
intimamente, a ponto de o Senhor lhe fazer revelações. Os anjos o serviam;
suas orações provocavam terremotos. Suas palavras, dinamizadas pelo
poder do Espírito, estraçalharam os grilhões que acorrentavam uma jovem
dominada por espíritos malignos, que era explorada por seus patrões
fazendo adivinhações. Em Corinto, esse poderoso homem de Deus ensinou 
a Palavra e estabeleceu uma igreja, bem à porta do diabo. Mais tarde,
conquistou almas na própria casa de César, bem debaixo do nariz do
imperador. E sentia-se perfeitamente à vontade até na presença de reis:
“Tenho-me por feliz, ó rei Agripa!” Além disso, invadiu os domínios da capital
intelectual do mundo com a mensagem da ressurreição, chegando a deixar
confusos os seus sábios. Enquanto Paulo viveu, o inferno não teve paz.
Mas qual era a armadura dele? Onde afiava sua espada? Uma
expressão que ele emprega várias vezes é: “Estou bem certo”. Esse é o
segredo de tudo. Ele se achava dominado pela verdade revelada, como se
ela possuísse garras. E a Palavra de Deus, como o próprio Deus, é imutável.
O apóstolo estava como que ancorado nas profundezas da fidelidade de
Deus. Sua arma era a Palavra do Senhor; sua força era a fé que
depositava na Palavra, Então o Espírito o alertava a respeito da estratégia
que o diabo iria utilizar contra ele. Paulo estava sempre ciente de seus
estratagemas. E assim o inferno se desesperava. Mesmo numa ocasião
em que alguns homens tencionavam assassiná-lo, alguém descobriu a
trama, e assim os demônios e homens viram seu plano frustrado.
Estar salvo do inferno e livre de cometer os pecados mais grosseiros é
muito bom, mas, a meu ver, é uma condição espiritual muito elementar.
Quando Paulo foi à cruz de Cristo, experimentou o milagre da regeneração e
da conversão. Mas, depois, quando foi crucificado com Cristo, conheceu um
milagre maior, o da identificação. Acredito ser esse o mais forte argumento
do apóstolo — estar morto e vivo, ao mesmo tempo. “Porque morrestes”, diz
Paulo aos colossenses. Vamos aplicar isso à nossa vida. Nós já morremos?
Já morremos para as acusações e para os elogios? Morremos para o que
ocorre no mundo, para as opiniões humanas? Morremos a ponto de não
fazer mais caso do reconhecimento dos outros? Morremos de tal modo que
não protestaremos se alguém receber os louvores por algo que foi idéia
nossa? Ah que sublime, doce e gratificante experiência essa, de termos
Cristo vivendo em nós por meio de seu Espírito! E assim podemos cantar
como Wesley:

“Morri para o mundo e seus prazeres
Para sua inútil pompa e gozo passageiro!
Jesus, sê minha glória!”

E, Paulo havia morrido. Mas depois acrescenta: “Já não sou eu quem
vive”. O cristianismo é a única religião do mundo cujo Deus vive dentro
daquele que crê nele. E Paulo já não lutava mais contra a carne (nem
contra a sua, nem a dos outros). Sua luta agora era contra “os principados e
potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso”. Será que isso
explica por que aquele demônio disse: “e sei quem é Paulo!” É que o 
apóstolo estivera lutando contra as potestades demoníacas. (Em nossos
dias, essa arte de ligar e desligar que Paulo dominava tão bem está quase
esquecida, ou totalmente ignorada). E ao dar a última volta de sua corrida
terrena, ele afirmou: “Combati o bom combate”. Os demônios devem ter
dito “amém” a essa declaração, pois sofreram mais com Paulo do que o
apóstolo com eles. É verdade. Paulo era conhecido no inferno.
Outro fator que o levava a ser tão destemido era o conhecimento que
tinha da ira de Deus para com o pecado. “E assim conhecendo o temor do
Senhor, persuadimos aos homens”. (2Co 5.11). Paulo via o pecador como
um perdido! Outro dia vi alguém projetar um eslaide numa tela, mas a
imagem estava embaçada, e não dava para identificar nada. Mas aí o
operador acertou o foco e como a imagem melhorou! Assim também, nós, os
crentes, estamos precisando enxergar com clareza o estado de perdição em
que se encontram os homens, pois nossos olhos se acham embaçados com
relação à eternidade. É preciso que Deus acerte o foco de nossa visão.
Paulo amava a Deus com perfeito amor e por isso odiava o pecado com
ódio ferrenho. Por isso também via as pessoas não apenas como meros
pródigos, mas também como rebeldes contra Deus; não apenas como se
afastados da retidão, mas como conspiradores, aliados com a iniqüidade,
que teriam de ser castigados ou então perdoados. E ele atacava a impiedade
dos que se achavam subordinados às potestades demoníacas, com a
intensidade do ardente fogo do amor. Sua senha era: “Uma coisa faço”.
Ele não tinha interesses secundários, nem livros para vender. Não tinha
ambições pessoais, por isso não tinha nada para zelar. Não tinha reputação,
logo não tinha que lutar para defendê-la. Não possuía bens; portanto não
tinha nada com que se preocupar. Não tinha direitos, então não havia
motivos para se julgar vítima de injustiças. Já era falido; quem poderia
roubar dele? Estava “morto”, quem poderia matá-lo? Era menor do que os
menores; portanto ninguém conseguiria humilhá-lo. Perdera todas as coisas,
logo ninguém poderia lográ-lo. Será que isso explica melhor por que o
demônio disse: “E sei quem é Paulo?” O inferno deve ter tido muita dor de
cabeça com esse homem cheio de Deus.
E havia ainda outra âncora, na qual se firmava esse grande homem de
Deus: a eficácia do sangue de Jesus e sua capacidade de salvar
totalmente. “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus”. Verdade,
mas Cristo pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus. Que o
mundo possa vir a conhecer esse Cordeiro que opera tão perfeita
expiação! Para Paulo a expiação não era algo limitado. Fora zelote e
continuava a ser. À luz de um inferno eterno de que valeriam os efêmeros
bens terrenos?
E em nossos dias também, de que valem as honrarias humanas? Ou
os planos do inferno? Neste momento os homens estão tão perdidos como
estarão depois que morrerem. Neste momento, a alma deles está sendo
arrastada para um redemoinho de terrível iniqüidade, que por fim os
precipitará no inferno eterno. Isso é verdade? Paulo estava convicto de que
o era. Então, “Desperta, desperta, arma-te de força, braço do Senhor” (Is
51.9). E posso até ouvir Paulo dizer: “Faz de mim tua espada, teu
armamento de guerra”.
Outra verdade sobre a qual Paulo se apoiava era a bendita certeza de
que “deixar o corpo” era “habitar com o Senhor” (2Co 5.8). Para ele não há
o sono da alma, nem aquele interminável estado intermediário, nada disso.
Sair de uma vida é entrar logo na outra. Ante a idéia da eternidade, a
linguagem era falha, e a imaginação claudicava. E ele considerava as
chicotadas, as cadeias, os jejuns, cansaços e dores como uma “leve e
momentânea tribulação”, que seria compensada pelo fato de que
“estaremos para sempre com o Senhor”. Os demônios desperdiçaram sua
munição contra Paulo. Portanto, é de se admirar que um deles tenha dito
“e sei quem é Paulo?”

E a última verdade sobre a qual o apóstolo ancorava sua alma era:
“Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo”
(2Co 5.10). O fato de ele viver sempre com os olhos fixos nos valores eternos
fez com que essa prova final também perdesse seu aguilhão. Vivendo da
maneira certa aqui na terra (e não me refiro apenas em viver retamente,
mas segundo o padrão proposto na Palavra de Deus), resolve-se o
problema do além. Paulo se tornara tão semelhante ao Filho que podia
dizer: “O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em
mim, isso praticai” (Fp 4.9). De um modo geral, é meio arriscado imitar uma
cópia. Mas no caso de Paulo não, pois ele se achava plenamente rendido a
Cristo, santificado e satisfeito, isto é, “aperfeiçoado em Cristo”.
Será que alguém ainda acha estranho um demônio haver dito “e sei
quem é Paulo?” Eu não.

Capítulo 20 do livro "Por que tarda o pleno avivamento?"

sábado, 3 de junho de 2017

Eu não sinto paz, e você, sente?


Será que realmente dá para saber quando uma palavra é de Deus apenas pelo fato de "sentirmos paz"? Na realidade há um dito entre alguns cristãos de que quando uma pessoa fala uma palavra e isso é de Deus então você deve sentir paz naquilo. Normalmente as pessoas ouvem uma palavra e dizem "senti paz", e dai escutam outra e dizem "não, não senti paz". É comum uns perguntarem aos outros "sentiu paz?" E então uns dizem ter sentido paz e já outros dizem não ter sentido paz.

Na verdade deveríamos entender uma coisa, não interessa como nos sentimos, mas sim, se aquilo está escrito ou não. Há quem pense que toda palavra vinda de Deus sempre trará paz, leveza, amor, mas qual é o amor que desejamos? O amor que repreende o erro ou o que acoberta o erro? Ora, nós temos um conceito de amor muito carnal e imcompleto diante do verdadeiro amor de Deus. Pensamos que podemos julgar a palavra baseado nos nossos sentimentos de um coração cheio de engano e que facilmente é enganado.

Ora, não é verdade? Você já se enganou não foi? Seu coração já te enganou não foi? Muitas vezes você pode sentir paz e não estar nada em paz. Já outras, pode não sentir paz e aquela palavra traria paz verdadeira. Sabemos pela bíblia que as palavras de Jesus diante dos maiorias da religião naqueles dias nunca trouxeram paz nos seus corações. Mas as palavras de Jesus trariam verdadeira paz entre eles e Deus se as tivessem recebido com mansidão. Determinadas pessoas não sentiam paz ao ouvir Jesus, levantavam-se muitas vezes contradições amargas contra o Senhor.

Hoje em dia não é diferente, como poderá uma igreja dorminhoca como a nossa, sentir paz nas palavras de correção do Senhor Jesus? Mas hoje as pessoas simplesmente recusam qualquer palavra de correção dizendo "não senti paz nisso", porém quando vem as palavras de benção, vitórias, conquistas, prosperidade, ai curiosamente todo mundo "sente paz". A verdade é que a profecia de Paulo se cumpre em nossos dias, estão amontaoando para si mesmos pregadores que falem para eles o que eles desejam ouvir. Eles até pagam tais homens para que falem somente coisas agradáveis e venham a coçar seus ouvidos cheios de comichões.

Preste bem atenção, e vamos ficar no "está escrito", muito mais do que no "não sinto paz", pois o sentimento de um coração enganoso pode facilmente nos enganar. Sigamos o Verbo e não os sentimento do nosso enganoso coração.

Deus abençoe a todos!

Arrepende-te Brasil.