Aprendendo a viver sem internet e liberdade de imprensa


O Brasil é um país onde a internet é livre e portanto o acesso a informação também, graças a Deus - - - porém toda liberdade trás também responsabilidades. Há várias mídias disponíveis para quem deseja aprender e se informar a respeito das coisas. Temos livros, jornais, revistas diversas, temos o rádio e a televisão, e temos também a internet. A internet é um enorme banco de dados mundial e se ainda não é tende a ser o maior meio utilizado pelas pessoas para ter acesso a informações como notícias por exemplo. Toda esta facilidade a informação tem também o seu preço e é justamente um pouco a respeito deste assunto que eu quero falar, sobre a influência do acesso a informação e conhecimento na nossa caminhada cristã.

Como aprender a buscar e selecionar informações, e também, como aprender a viver sem elas?

Pois bem, dando alguns exemplos práticos, mas quando alguém está assistindo a televisão de sua casa ele não está tendo uma grande oportunidade de escolha de conteúdo se comparado a internet. Você tem a escolha entre alguns canais e cada canal já tem a sua programação fixa, ou seja, você só pode escolher entre as programações que já são fixadas pelas redes de televisão, e elas vão fixar esta programação não pautando necessáriamente por qualidade ou utilidade mas sim por audiência. Se uma baixaria qualquer der audiência eles não irão se importar, vão colocar no melhor horário em que mais pessoas estejam em casa para assistir. Na televisão (rádios, revistas, jornais é muito parecido) você não tem a possibilidade de fazer uma checagem de fatos. Na internet há esta possibilidade.

Imagine que a sua única fonte de informação a respeito dos acontecimentos mundiais, ou da sua cidade, fosse os noticiários televisivos e impressos da sua cidade. Você teria que simplesmente dar crédito a tudo que eles falam pois não teria como checar melhor os fatos ou a história que eles estão te contando. Deste modo você se tornaria uma pessoa que obrigatoriamente enchergaria o mundo através dos olhos daqueles jornalistas que escrevem as suas notícias. Se eles forem parciais ao descrever os eventos, e então você formar a sua opinião baseada na opinião deles, então a sua opinião também terá sido manipulada e isso é um perigo pois te levará a uma visão de mundo distorcida.

Um outro ponto que devemos observar é o seguinte, qual o critério utilizado para selecionar quais notícias devem ser veiculadas e quais notícias não devem ser veiculadas? Você já parou para pensar que o interesse da mídia muitas vezes não é apenas informar, mas sim lucrar com as notícias. Um jornal vive de venda de notícias então ele tem que selecionar as notícias que vão dar maior audiência, e ai temos sempre uma onda de notícias da moda circulando por ai. Na época da copa do mundo por exemplo, tudo girava em torno da copa, e mesmo que o Brasil continuasse afogado em escândalos de corrupção e muitos outros problemas graves, me parece que as personalidades do futebol e suas respectivas namoradas ocuparam grande parte do noticiário. Haviam notícias sobre as roupas das celebridades, onde elas forma jantar, que avião embarcaram, etc, etc, etc..


Qual a importância de tais notícias para o nosso dia a dia? Ora, nenhuma por certo, é apenas entretenimento barato, encher linguiça, mas dá audiência, e audiência atrai anunciantes, e anunciantes pagam uma fortuna para anunciar e vender seus produtos nos jornais. Por isso que ainda que a preocupação da mídia deve-se ser não apenas de entreter mas de educar e informar a população, na prática vemos que isso não acontece. Somos condicionados a vida toda a dar credibilidade indubitável (sem duvidar) para tudo aquilo que vemos nos noticiarios, mas dai veio a internet livre e percebemos uma coisa, as coisas não são bem assim como a televisão, rádio, jornais nos falaram. A época da copa do mundo por exemplo, várias medidas absurdas, liberdade de presos por corrupção, etc, etc, etc, aconteceram sem que o povo fizesse maior protesto, sem que o povo se indignasse, pois ele estava distraído pelas notícias do futebol.

Mais uma vez entendemos aqui, muitas e muitas vezes as notícias servem para formar nossas opiniões segundo a vontade de alguns que querem na verdade não nos informar, mas nos usar para vender anúncios e ganhar dinheiro. Inocentemente, sem prudência, lemos sem nos dar conta de que elas estão ali para fazer dinheiro e não para nos informar. Notícias muitas vezes servem para nos desinformar, servem para nos manipular, servem também para nos distrair, servem para nos direcionar a gostar ou não gostar de determinados assuntos, produtos, pessoas, servem para nos fazer achar quais coisas são mais importantes do que as outras, servem para nos ensinar em quem votar --- por exemplo, os títulos das matérias e fotos utilizados nas notícias são extremamente importantes, a maioria das pessoas não lê mais que o título, e ele pode te induzir a deduzir o restante da notícia ao invés de ler ela toda e checar os fatos! Especialmente se a foto que ilustra a notícia for bem selecionada juntamente com palavras sensacionais que podem te chocar, podem te fazer achar que alguém é um anjo ou um demônio dependendo da forma como for colocado (mas isso corresponde a verdade?)! Mesmo assim, sou a favor de que as notícias existam, porém, temos que aprender a viver sem elas e aprender a não ser manipulados por elas!

A internet

Aqui no Brasil, uma grande parte da população não tem acesso a internet, e molda seus costumes e pensamentos apenas através daquilo que passa na televisão. A televisão (ou qualquer outra mídia onde não escolhemos o conteúdo) tende a facilitar o acesso aquilo que para ela seja mais rentável e traga mais lucro, e a maioria das pessoas tende a consumir exatamente aquilo que está de mais fácil acesso. Há uma rede de televisão chamada TV Cultura por exemplo, onde se passam documentários e aulas diversas, coisas que dão um pouco mais de trabalho para o nosso cérebro para assistir, tem que pensar um pouco mais, e não é de se adimirar que seja um canal de baixíssima audiência, a maioria audiência está em programas de entretenimento, sensacionalismo, o BBB é um exemplo destes, o futebol, isto nos mostra que a maior parte da população apenas quer se entreter e não fazer um esforço de aprender. No demais, se você cresce a vida toda acostumado apenas a consumir entretenimento, seu estilo de vida será preguiçoso com relação a tentar pensar por conta própria, uma das coisas que a televisão faz é justamente isso, ela não te dá o trabalho de pensar, ela "pensa" por você, trás conclusões prontas para você, e assim por diante.

Será que com a internet é diferente? Sim e não! Só que para entender isso vamos fazer um grande retorno no tempo e quero traçar um paralelo com a igreja católica e a reforma protestante.

Privar as pessoas de acesso a informação ou limitar o acesso delas apenas as informações que você deseja que elas saibam é um excelente modo de mantê-las cativas ao seu ideal. Não é a toa que muitas seitas religiosas proibem os seus membros de verem qualquer conteúdo de "outras seitas" com medo de que porventura as pessoas possam começar a questionar demais e por fim serem libertas. Alguns pastores hoje em dia tem esta postura, proibem os membros das suas igrejas de ouvirem pregações de qualquer outra igreja e desejam que eles apenas ouçam aquilo que vem de seus lábios, tais homens se colocam como exclusivos porta-vozes de Deus e são portanto falsos profetas. Esta tática de limitar o acesso das pessoas a informação ou privar completamente tem por fim e objetivo tornar as pessoas mais facilmente manipuláveis. Isso pode acontecer na esfera pública quando falamos por exemplo de o governo oferecer uma educação de péssima qualidade para a população, este povo com certeza será muito fácilmente manipulado, ou oferecer uma educação seletiva no sentido de ensinar apenas aquilo que lhe convém para que possa se manter no poder, não ensinar nada que possa levar os cidadãos a questionar as posturas do governo.

No Brasil, um dado recente mostra que a maioria absoluta das pessoas que conclui o ensino médio não sabe ler, nem escrever e mal sabe fazer contas, mesmo assim estas pessoas estão diplomadas como se tivessem estudado. Em vários momentos da história isso aconteceu assim, seja de um modo ou seja de outro modo. Eu irei citar a idade média e o catolicismo apenas para o fim de trazer uma comparação com o assunto religião, mas poderia citar vários outros exemplos. Há uma tribo por exemplo em que os homens privavam as mulheres de conhecerem certos segredos a respeito de alguns rituais de evocação de espíritos (que na verdade os espíritos eram eles mesmos, os homens, fantasiados), justamente para manter as mulheres com medo e para elas não se rebelarem nas tribos. É um exemplo de privar as pessoas do acesso a informação. Mas voltando ao exemplo do catolicismo, e não querendo ser detalhista mas é um fato fácil de ser comprovado hoje em dia que durante boa parte da idade média o catolicismo dominou o acesso a informação. Seus padres e outras pessoas mais abastadas que podiam estudar nas "universidades" da época, que eram de domínio católico, detinham todo o conhecimento intelectual disponível, mas não havia a preocupação em dar ao povo este mesmo conhecimento, mantinha-se o povo ignorante.

Não somente o acesso a informações científicas e históricas era precário, mas também o acesso a leitura da própria bíblia era proibido. Uma das proibições era de que somente os sacerdotes católicos poderiam ler a bíblia, e mesmo que desse a bíblia nas mãos do povo, dificilmente eles saberiam ler. Quando chegamos então no assunto das missas que eram rezadas (com todo respeito aos católicos mas apenas cito fatos históricos), as missas eram rezadas em latim clássico, sendo que boa parte do povo ou não falava latim ou falava uma variante diferente, o latim vulgar, e por isso seja de uma forma ou de outra ficaria muito difícil deles sairem das missas aprendendo alguma coisa (supondo-se que a palavra fosse de fato ensinada em latim naquelas missas). Paulo escreveu que o bom era falar a lingua que todas as pessoas pudessem entender para que todos tivessem acesso a mensagem de Deus, mas os padres católicos tomaram a bíblia para si mesmos e não repartiam o conhecimento dela com ninguém, alegando inclusive que o latim era que era a lingua sacra (santa) e que portanto a palavra de Deus não poderia ser lida em língua comum ou vulgar que seria falta de respeito.

Até hoje, da multidão de católicos que temos no mundo apenas uma pequena parte conhece certos fatos a respeito da sua igreja. Os que conhecem, se os confrontarmos com este tipo de dado que coloquei acima, normalmente irão dizer que se não fosse a igreja católica a bíblia não teria sido preservada até os dias de hoje. Isso na minha opinião é uma falácia, o que a igreja católica fez durante uns mil anos foi na verdade esconder as escrituras do restante da humanidade e com isso manteve o seu monopólio de poder aqui no mundo ocidental a pretexto de estar "espalhando as boas novas".

Sempre houveram pequenos grupos que de algum modo pela providência de Deus possuiam os evangelhos em mãos, e estudavam as escrituras, e por isso podiam perceber que as atitudes do catolicismo dominante naquela época eram reprovadas em muito pelas escrituras (estamos falando de um período que foi mais ou menos do ano 500 ao 1500 d.C.). Houveram coisas boas no catolicismo, disso não tenho dúvidas, mas fica evidente do meu ponto de vista da história que eles prenderem o acesso de grande parte do povo a informação com medo de perderem o controle e isso foi um grande atraso para a história da humanidade, algo que sou completamente contra. Muitos tentaram desafiar o poder da igreja católica, normalmente foram perseguidos e mortos, ainda que os desafios de alguns fossem justos e legítimos, parecia impossível deter esta potência governamental que havia se tornado aquela igreja. Foi porém em 1517 que Lutero publicou as suas 95 teses na porta da igreja do castelo de Wittenberg, e apesar de Lutero não ter sido o único, certamente ficou sendo o mais famoso e um ícone da reforma protestante. Houveram muitas outras pessoas envolvidas neste processo que culminou com o rompimento com a igreja católica.

Ter Lutero ou os reformadores em geral como heróis ou exemplos de espiritualidade não é um ponto de vista acertado ao meu modo de ver. Deixar também de reconhecer a sua importância na trajetória da humanidade e do mundo ocidental seria um outro grave erro. Com erros e acertos, e muitas divergências, o movimento protestante cresceu e se fragmentou por toda a Europa, chegou até o Brasil, e em muitos casos repetiu muitos dos erros que criticava no catolicismo quando chegou a ter alguma forma de poder político. Uma das diferenças neste caso, na tônica da reforma protestante, ao meu ver, ajudada e muito pela invenção da imprensa, que permitia imprimir livros e panfletos numa velocidade muito maior do que os que eram feitos a mão pelos copistas, foi justamente a preocupação de traduzir e distribuir cópias da bíblia para todas as pessoas na língua que elas pudessem compreender. A visão católica predominante era de que apenas os bispos da igreja católica estariam aptos a interpretar as escrituras, mas na reforma protestante ressurge com muito vigor o espírito de que ninguém mais deveria depender do clero da igreja para compreender a bíblia, cada um deveria ler por si mesmo, ou seja, o povo não vai mais precisar passar pelos sacerdotes católicos para ler as escrituras, elas vão estar nas mãos de todos agora.

Os católicos até hoje são contrários a estas proposições, mas segundo um tradutor protestante chamado Tyndale, a quem é creditada a primeira tradução da bíblia para o inglês, o seu objetivo era que se não o parassem em pouco tempo qualquer menino do campo soubesse mais das escrituras do que os próprios bispos da igreja católica. Willian Tyndale foi executado e seu crime foi justamente distribuir as escrituras em língua que as pessoas pudessem ler. A reforma protestante portanto, mesmo tendo incorrido em muitos erros semelhantes aos dos católicos, e ter muitas manchas negras em sua história, não pode deixar de ser reconhecida como um movimento importante principalmente pela libertação do acesso as escrituras para todas as pessoas. No dia de Pentecostes, em Atos 2, foi o próprio Espírito Santo quem capacitou as pessoas ali presentes a falar em outras línguas, e também capacitou os ouvintes a compreenderem os apóstolos e demais irmãos falando das grandezas de Deus cada um em sua própria língua segundo a palavra de Deus! Quem seríamos nós para proibir o acesso das pessoas as escrituras quando o próprio Espírito Santo o liberou capacitando sobrenaturalmente os primeiros discípulos até mesmo a falarem novos idiomas sem nunca tê-los estudado?

Alguns católicos alegam que o fato da bíblia ter ficado presa tanto tempo com a igreja católica era porque não havia imprensa e por isso não podiam distribuir em grandes quantidades. Mas isso não é bem assim, a verdade é que não parece que houve preocupação ou empenho algum da riquíssima igreja católica em educar o povo simples e muito menos em os levar a estudar as escrituras. Tudo isso poderia ter sido feito de forma oral na dificuldade de arrumar livros para todos que era comum a época. Além do mais, com o impulso dado pela reforma protestante de acesso as escrituras, muitas pessoas começaram a ler e entender que muito do que os padres diziam na verdade não tinha amparo algum nas escrituras. Pois bem, o conhecimento da verdade liberta, uma pena os protestantes em boa parte terem caído em muitos dos mesmos erros do catolicismo.

Falando do cenário atual vemos que as mídias, como a televisiva por exemplo, que é muito cara, é inclusive utilizada para propaganda religiosa, e muitos pastores hoje que se denominam protestantes utilizam a televisão para pregar seus sermões, muitos deles apenas voltados para o interesse financeiro de pagar a propaganda televisiva e não de pregar o evangelho de Jesus Cristo como ele é. Podemos ver isso pela quantidade de pedidos de oferta e barganhas com Deus que são oferecidas, prometendo riquezas e bênçãos em troca de dinheiro, justamente uma das coisas que a reforma protestante protestou a respeito do catolicismo. Não é a toa que, falando da palavra de Deus agora, facilita-se o acesso das pessoas através de uma mídia de alcance em massa como a televisão justamente a pastores que de fato não representam a verdade da mensagem de Jesus Cristo, mas que acabam sendo os pastores mais conhecidos e mais consumidos pelas pessoas, pois são os que estão ali, a mão, fácil de serem escutados, fácil de serem acessados.

Quero dizer com isso que a maioria das pessoas tende a alimentar-se daquilo que está na superficie, daquilo que está aos olhos, mas são poucos que "cavam" para buscar o seu alimento.

Se você for olhar com relação a internet as coisas não são muito diferentes. Há vários mecanismos para te induzir a se alimentar apenas das primeiras coisas que lhe aparecem pela frente, ou seja, ainda que a internet te dê uma oportunidade enorme de vasculhar e garimpar diversas fontes de pensamento, vários mecanismos são utilizados para que você só se alimente daquilo que está sendo "colocando no teu prato". Um exemplo que vou dar, o facebook, o google, você faz uma pesquisa no google, vem o resultado, a maioria das pessoas vai direto no primeiro resultado que aparece, dificilmente alguém pesquisará a página 30 ou 40 para ver outros resultados, os 5 primeiros que aparecem no seu alimentador devem ser os mais acessados, e muitas vezes eles só estão sendo mais acessados justamente por serem mais da moda, por terem sido pagos para estarem em primeiro lugar, é aquilo que a maior parte das pessoas está vendo no momento. A maioria das pessoas tende a ficar satisfeita com os primeiros resultados no google, youtube. No youtube os primeiros resultados de uma pesquisa normalmente são os vídeos mais visualizados, mas se você for até os vídeos menos visualizados muitas vezes vai achar verdadeiras pepitas de ouro que poderiam enriquecer muito a sua pesquisa.

Redes sociais como facebook ou twitter por exemplo, usam sofisticados sitemas de inteligência artificial, banindo conteúdos que não se coadunam com a visão de mundo dos seus donos. Isso tem causado uma censura sem precedentes na internet mundial. Eles utilizam de mecanismos como a exlcusão automática de uma página, ou simplesmente fazem com que aquela página não apareça mais no "feed de notícias" das pessoas que as seguem. Isso se chama "shadow banning" ou um banimento silencioso. A página pode ter milhares de seguidores, porém perde visitas pois se suas atualizações de postagens não aparecem no "feed" dos seus seguidores eles tendem a achar que você não está postando mais nada. O "feed" termo que significa algo como "alimentador", é justamente aquelas postagens que nos aparecem na página inicial. Seria a grosso modo comparando as coisas, como se fôssemos uns porquinhos presos num curralzinho e então o nosso dono chega no nosso cocho (alimentador) e coloca ali o que nós devemos comer. O alimentador de notícias, que não é algo exclusivo do facebook, é na verdade um indutor de acessos e boa parte das pessoas não sabe que existem muito mais postagens no facebook do que aquelas que aparecem no "alimentador". Com isso quero dizer que se induz a maior parte das pessoas, quase todas, a consumir nas redes sociais exatamente aquilo que as redes sociais desejam que seja consumido, ou as leva a ver exatamente aquilo que as redes sociais desejam que seja visto e através disso molda-se padrões de pensamentos, gostos, modas, padrões de beleza e de consumo, preferência, sentimentos, crenças, posicionamentos políticos, etc, etc, etc --- mas na internet as vezes isso falha, nem sempre funciona.

Nas escolas e faculdades também não é diferente, o conteúdo que estudamos é selecionado e dificilmente os professores (quando conseguem dar aula e não estão apanhando dos alunos em alguns casos!) nos ensinam que há por exemplo, mais de um ponto de vista histórico sobre determinado assunto, que não há consenso entre os cientistas a respeito de determinada teoria, eles normalmente nos ensinam apenas um ponto de vista como se ele fosse a verdade absoluta sobre os fatos e acabamos moldando nossa visão de mundo de forma limitada e distorcida por causa disso. Eu poderia dar um exemplo, boa parte das escolas ensina com maior ênfase apenas o evolucionismo e não o criacionismo, ou até mesmo como modernamente se chama, a teoria do design inteligente. Dão ênfase ao evolucionismo  e ainda que existam milhares de críticas científicas a tal teoria não se ensinam as críticas. Na história vemos a mesma coisa, o ponto de vista histórico que dei resumidamente sobre o catolicismo e a reforma protestante não é o único possível, quando se vai estudar história se pode chegar a várias conclusões diferentes. Você já deve ter entendido que as notícias são muitas vezes parciais e tendenciosas, e muitos historiadores se baseiam em documentos da época, entre eles, jornais da época. Imagine alguém daqui 300 anos tentando reescrever a história do Brasil em 2018 e lendo os jornais da época para fazer isso, será que a conclusão histórica a que chegaria seria o mais próximo da realidade ou seria apenas um historiador enchergando as coisas como a imprensa da época desejava que fosse enxergada mas não como de fato elas eram?

Há uma história muito famosa dum escrito no Egito, um determinado Faraó perdeu uma batalha, e foi registrada a derrota. Tempos depois ele mandou rasurar a inscrição que estava na parede para recontar a história da batalha porém de forma que ele tivesse heróicamente derrotado o inimigo. Os estudiosos atuais foram capazes de perceber as adulterações, agora, se desde a primeira vez tivesse sido registrado como se o Faraó perdedor fosse na verdade vencedor, e não houvesse qualquer indício de adulteração, nós até hoje leríamos a história do seguinte modo "o Faraó tal há um registro de que foi vencedor na batalha naquele dia". Seria um fato histórico a escrita alegando Faraó vencedor, mas seria uma mentira histórica que não teríamos como detectar. A mesma coisa acontece quando lemos biografias de uma pessoa, que na maioria das vezes são alguém, ou que conheceu a pessoa pessoalmente e então escreve a sua história do seu ponto de vista, ou o biógrafo é alguém que tenta recompor a vida de uma pessoa através de documentos. Pode-se portanto chegar a diversas conclusões, você pode pintar um anjo como se fosse um demônio, ou um demônio como se fosse um anjo dependendo da forma como enxergar os fatos. Há um exemplo que conheço de um casal, e existe biografias tanto da mulher quanto do esposo. Em uma das biografias se lê "ele era muito dócil mas sua mulher destemperada", já na outra biografia se lê "sua mulher era de uma paciência e domínio de si sem iguais, porém ele era um homem muito suscetível a ira".

Qual das duas biografias é a correta? Simplesmente não há como saber perfeitamente. É como quando você ouve uma mulher se queixando do seu marido, ou o marido se queixando da mulher, se escutar somente um lado da história, a mulher "fazendo a caveira do homem", você vai pensar "este homem é um monstro", mas se ouvir os argumentos do marido talvez então pare de dar razão a esposa. Estou citando isso apenas para enriquecer e ilustrar o exemplo que estou dando, de que ainda que os registros históricos sejam importantes e válidos, temos que ter muito cuidado e avaliar que podem haver muitros outros pontos de vista sobre o assunto. Uma das histórias no Brasil mais controversas a este respeito é a história do descobrimento do Brasil, a outra é a do período militar, há quem defenda o ponto de vista que aprendemos na escola, houve uma ditadura militar no Brasil, mas há outros elementos históricos e até mesmo depoimentos de pessoas da época, que nos dão conta de que na verdade os militares tomaram o poder de modo legal e apoiados pelo povo pois havia em curso uma tentativa de instaurar aqui no Brasil, naquela época, um regime totalitário de cunho comunista, uma ditadura comunista. Neste último ponto de vista os militares são bem vistos, no primeiro são mal vistos, e ai, qual é a verdade? Os dois pontos existem mas na escola nos ensinam os dois pontos de vista? Claro que não! E por isso baseamos a nossa posição apenas naquilo que fomos instruídos e podemos chegar a conclusões falsas.

A censura da imprensa

Em muitos países do mundo a imprensa não é livre como é aqui no Brasil por exemplo. Se você viajar para a China vai ter dificuldades para acessar o facebook, ou o google, não vai ter acesso também a agências internacionais de notícias a menos que burle o sistema de proteção e bloqueio da internet chinesa. As notícias todas por lá são bem controladas pelo canal estatal chinês, ou seja, o governo controla o que a população pode ou não acessar de notícias. Deste modo, eles não acessam nenhum crítica internacional ao governo, não sabem muito bem o que acontece do lado de fora da China, são mais facilmente manipulados. Outro exemplo que podemos dar é a Coréia do Norte, as pessoas crescem naquele país sem fazer idéia do que se passa nos outros países, testemunhos de fugitivos de lá nos dizem que a população é induzida a acreditar que o seu lider, o ditador Kim Jong Un é na verdade Deus. Estes não são os únicos países com censura no mundo, mas se não se dá acesso a informação as pessoas facilmente você as dominará.

São portanto dois mecanismos diferentes criados, um é uma censura aberta, como dos países que citei acima. Já outro, é uma censura branca, onde se tem a impressão de liberdade mas na verdade você está sendo sutilmente, subliminarmente, induzido a consumir exatamente as informações que os donos da mídia ou do mundo se preferirem desejam que você consuma. É uma verdadeira guerra de informações, cuidado nesta guerra para não se afastar do Evangelho!

Agora imagine hoje nós, cristãos do Brasil, se nos fosse retirada a internet livre ou se a imprensa fosse censurada de repente? Nós não poderíamos mais basear a nossa posição ou opinião naquilo que vemos nos noticiários, nos restaria apenas voltar a total simplicidade da palavra de Deus para não cometermos erros! Quero dizer com isso que se a imprensa não for livre um dia, ou  pemanecer tendenciosa com é hoje, o Evangelho permanecerá livre pois Deus tem os seus próprio meios!

Que o Senhor nos ajude a nos informar, selecionar e buscar informações para edificar a nossa fé!

"Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." Romanos 12:1,2

Deus abençoe a todos!
Share on Google Plus

Sobre o site ArrependeteBrasil

Arrepende-te Brasil: Nosso intuito é pregar o Evangelho de Jesus Cristo gratuitamente, sem pedir ofertas, sem falar em dinheiro, levando o conhecimento de Cristo a todos de graça e pela graça que nos foi dada pela Cruz e pelo Sangue do Nosso Senhor Jesus. Nosso foco é preparar o caminho, levar um povo a consciência e atitude de preparação individual para a volta do Senhor Jesus em Arrependimento e Santidade pelo Poder do Espírito Santo de Deus, para a Glória de Jesus e do Pai em Seu Filho Amado a quem nós também amamos, recebemos e ouvimos como Único Deus Senhor e Salvador.